| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Stop wasting time looking for files and revisions. Connect your Gmail, DriveDropbox, and Slack accounts and in less than 2 minutes, Dokkio will automatically organize all your file attachments. Learn more and claim your free account.

View
 

Hosana T Fontoura

Page history last edited by PIBID UERGS ALEGRETE 4 years, 11 months ago

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98322336/logofinalpng.png

PARTICIPAÇÃO NO SIEPEX 2015

 

 

 

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 26/11/2015.

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Semana Acadêmica


 

 

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data:  25/11/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Tema: A verdadeira história do Lobo que não era Mal.

Objetivo Geral:  Oportunizar aos alunos um momento de literatura infantil encerrando as atividades do Pibid na escola, promovendo o entendimento da estória ainda não contada.

Objetivos Específicos:

Promover um momento de socialização entre as turmas

Contemplar a a literatura infantil por meio da encenação das bolsistas,

Aguçar o interesse no educando pela leitura de forma prazerosa.

Conteúdo:

Acolhimento

Agradecimentos

Propaganda da atividade

Momento de encenação da estória

confraternização

Registro

Desenvolvimento do tema:

Acolhimento:Os alunos serão acolhidos pelas bolsistas e conduzidos a quadra da escola

As bolsistas e supervisoras farão o agradecimento dos alunos e equipe diretiva

Propaganda da será feita para envolver os alunos com os personagens,

Encenação da estória pelas bolsistas com musicalização e chamando as crianças a participarem da apresentação

A confraternização será realizada com todas as turmas.

O registro será feito com máquina fotográfica 

Avaliação: os alunos e professores participaram unanimente na encenação da estória, um pouco inquietos pois sabiam que a partir daquele momento as bolsistas não retornariam mais na escola. Aproveitaram a bastante o momento.

Reflexão:

Fazer um balanço das atividades, traz a reflexão de aulas que foram desenvolvidas com anseios e ao mesmo tempo com satisfação, que em determinado tempo as intervenções não acontecerão. Aguardar o próximo ano para ver qual escola iremos atuar, demandará um tempo. Foi bom participar do Projeto durante todo o ano. Vimos o reflexo do nosso trabalho no rosto dos alunos.


 

JH IMG-20151126-WA0000.jpg

 

JH IMG-20151128-WA0011.jpg

 

JH IMG-20151128-WA0009.jpg

 

JH IMG-20151128-WA0000.jpg

 

JH IMG-20151126-WA0011.jpg

 

JH IMG-20151126-WA0005.jpg

 

JH IMG-20151126-WA0008.jpg

 

JH IMG-20151128-WA0006.jpg

 

JH IMG-20151126-WA0002.jpg

 

JH IMG-20151126-WA0006.jpg

 

JH IMG-20151128-WA0008.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 18/11/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

 

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Tema: Na pista dos fatos

Objetivo Geral:  Oportunizar aos alunos um momento da cultura Africana e afro-brasileira alusiva a comemoração da Conciencia Negra, promovendo o conhecimento e dismistificação de pré-conceitos estabelecidos, por meio da estótria “OBAX”.

Objetivos Específicos:

Contemplar a comemoração da Semana da Conciencia Negra através da Contação de história,

Oportunizar as crianças o conhecimento da cultura Afriacana e Afro-brasileira,

Aguçar o interesse no educando o respeito a divesidades

Promover um momento de socialização entre os alunos por meio atividade artistica e cantiga de rodas.

 

Conteúdo:

Acolhimento

Propaganda da atividade

Questionamnetos

Momento literário

Releitura

Cantiga de rodas

Registro

 

Desenvolvimento do tema:

Os alunos serão acolhidos elas bolsista na sala de aula.

Propaganda da atividade será realizada com questionamentos

As crianças serão questionadas sobre a cultura africana

O momento literário dar-se-á com a contação de estória

A releitura do conto será feita com um painel com a chuva de flores.

Será jogado com os alunos uma amarelinha com perguntas que indicam pistas da estória contada

Logo será feita a brincadeira com a cantiga de roda Escravos de Jó.

O registro será feito com máquina fotográfica

Avaliação:

Ver as crianças envovolvidas com o tema foi um resultado positivo. A professora titular também estava trabalhando o tem adiversidade o que só veio somar em nossa intevenção. Em nenhum momento os alunos dispersaram a atenção ou  demostraram cansaço. A estória contada era novidade para eles, ao contrário da anterior que els já conheciam. As produções elaboradas, jogos da amarelinha e a cantiga de roda trouxe uma descontração produtiva por parte dos alunos e bolsistas. Os pais das crianças puderam presenciar e a atuação das bolsistas quando as crianças foram direcionadas ao orredor da escola para realizar a brincadeira escravos de jó.

Reflexão:

Quando não se conhece a fundo uma cultura, as intervençoes do Pibid trazem a portunidade de investigar e procurar entender um determinado povo vive, sua cultura e costumes. É desafiador, mas para entrar em sala de aula e abordar assuntos como a Cultura Afriacana ou Afro-brasileira requer preparo, estudo e busca.


 

JH IMG_20151118_170351.jpg

 

JH IMG_20151118_170059.jpg

 

JH IMG_20151118_165152.jpg

 

JH 1447872939641.jpg

 

JH 1447872373362.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 12/11/2015.

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Reunião geral bolsistas, surpervisoras e coordenadoras sucesso de  Relato de Estágio ( Deise Monteiro)

Oficina para elaboração de boneca de pano ( Hosana Fagundes Fontana


 

 

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 11/11/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Tema: Marcas Africanas

Objetivo Geral:  Oportunizar aos alunos um momento da cultura Africana e afro-brasileira alusiva a comemoração da Consciência Negra, promovendo o conhecimento e desmistificação de pré conceitos estabelecidos, por meio da estória “Bruna e a Galinha d’Angola.

Objetivos Específicos:

Contemplar a comemoração da Semana da Consciência Negra através da Contação de história,

Oportunizar as crianças o conhecimento da cultura Africana e Afro-brasileira,

Aguçar o interesse no educando o respeito a diversidades

Promover um momento de socialização entre os alunos por meio atividade artística.

 

Conteúdo:

Acolhimento

Propaganda da atividade

Questionamentos

Momento literário

Releitura

Registro

 

Desenvolvimento do tema:

Os alunos serão acolhidos elas bolsista na sala de aula.

Propaganda da atividade será feita com questionamentos

As crianças serão questionadas sobre a cultura africana

O momento literário dar-se-á com a contação de estória

A releitura do conto será feita com um livro elaborado a partir de carimbo de mãos e a produção de uma galinha com copos de iogurt e fio de linha

O registro será feito com máquina fotográfica.

Avaliação:

Como conheciam a estória as crianças a todo o instante completavam e argumentavam a bolsista sobre o assunto. Na elaboração do Panô foram todos participativos exceto um aluno que não sente-se a vontade em sujar as mãos com tinta. A construção da galinha com copos e fio de linha foi algo que entusiasmou as crianças.

Reflexão:

Abordar temas como diversidade torna-se muito instigante, pois os alunos surpreendem com suas opiniões e posições em relação ao tema abordado. Pode-se dizer que os objetivos foram alcançados, pois trabalhar respeito e consciência torna-se um momento de ensino aprendizagem tanto para alunos como para bolsistas.


 

 

JH IMG_20151111_175335.jpg

 

IJH MG_20151113_092135.jpg

 

Data: 05/11/2015.

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Reunião de formação com supervisora, coordenadoras e bolsistas.

Balanço das atividades e leitura da Mensagem àrvore da amizade

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 04/11/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Tema: Passeio na Floresta.

Objetivos

Objetivo Geral: Apresentar ao educando atividades que exigem a leitura, escrita e raciocínio lógico 

Objetivos Específicos:

Potencializar a importância do respeito ao próximo.

Instigar a leitura e a escrita por meio de interpretação textual, oral e escrita, Desenvolver a atenção, concentração, nação motora, com atividades lúdicas e recreativas. 

Conteúdo:

Acolhimento

Socialização

Leitura e escrita

Noção espacial

Limite

Registro

Desenvolvimento do tema:

As crianças serão acolhidas pelas bolsista na sala de aula

Será passado no quadro atividades de completar  com o nome de animais, o que irá promover a leitura e escrita.

Após a tividade de completar, os alunos serão convidados de maneira aleatória a sentarem-se em meia-lua no chão e a socializarse com o colega do lado pois, cada um será um animal e receberá um número que deverá ser memorizado

Em combinados não poderão sair do seu lugar, e nem ocupar o espaço do colega, pois ainda não conhecem o aminal que o colega é.

Todos terão sua vez de ser chamado, e deverão aguardar o sinal da bolsista para se manisfestar.

Os registros serão feitos com máquina fotográfica

Exemplo de atividade de completar a frase:

Na floresta viviam cinco H_______tamos e seis ___nocerrontes.

Exemplo de frase par o aluno memorizar o mumeral:

Cada aluno recebe um número, então a bolsista fala:

Na floresta Haviam 20 rinocerontes bebendo água no rio.

O aluno que tiver o número vinte deverá escrever no quadro o animal citado e imitá-lo.

Avaliação:

Foi divertido ver as crianças escrevendo com a juda do colega e imitando o animal correspondente ao numero. Ao mesmo tempo que riam, também faziam o colega imitador sentir-se a vontade. Foi gratificando perceber a participação das crianças.

Reflexão:

Em algumas vezes parece que a escolha da atividade não condiz com a faixa etária da turma atendida, porém, no decorrer da aula percebe-se o envolvimento da criança. Pode se afirmar que se tem duas visões de uma atividade, antes de aplicá-la com os anseios do que poderá não dar certo, e depois de aplicada com resultados além do esperado.


 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 15/10/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Reunião supervisoras, coordenadoras e bolsistas.

  • ·         Balanço do Pibid em Frederico
  • ·         Balanço da visita à Casa Transitória com entrega de cestas e apresentações de teatro, sugestões para o uma possível intervenção no Natal
  • ·         Sugestõe de atividades para o recesso
  • ·         Sugestões de temas para o próximo projeto
  • ·        

Tema: Fotografia: A atual realidade de Alegrete, os transtornos causados pela enchente.

 Mostrar por meio de fotos a atual situação do município de Alegrete e como a enchente alteração a rotina da cidade.


 

 

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 14/10/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Tema: Brincar é bom, ser solidário é melhor ainda.

Objetivo Geral: Apresentar ao educando temas que abordem os valores por meio do filme Toy Stori , contemplando o espírito de solidariedade e o valor da amizade 

Objetivos Específicos:

Potencializar a importância do respeito ao próximo.

Instigar o espírito de solidariedade por meio de arrecadação e doação de brinquedos.

Desenvolver a atenção, concentração, percepção visual, e a socialização entre as turmas. 

Conteúdo:

Acolhimento

Socialização

Cinema

Noção espacial

Limite

Solidariedade

Registro

Desenvolvimento do tema:

O acolhimento será feito em sala de aula reservada com o data show para as crainças assistirem ao filme.

O momento da socialização ocorrerá na união das  turmas para assitirem ao filme.

O cinema fazendo parte do componente curricular será sugestivo pois a comemoração ao Dia da Criança, requer uma atividade diferenciada.

 Os alunos terão noção espacial, ao dividirem a sala de aula com crianças de outras turmas.

Para ssisitr o filme serão feitos combinados, desta forma será contemplado o limite, silencio e respeito.

O espírito de solidariedade ocorrerá na arrecadação e distribuição de brinquedos pelos alunos.

Os registros serão feitos com maquina fotgráfica.

Avaliação:

O ambiente tornou-se um pouco pequeno para todos os alunos, as crianças concentraram-se e assistiram ao sem alteraçoes, mesmo no momento em que havia um númeo menor de bolsistas na sala de aula. Devido a distribuição de pipoca e refri para as crianças, o fluxo de pessoas foi inevitável, porém nem esse momento fez com que eles se dispersassem.

Reflexão:

Foram preparadas atividades de cinema e recreativas, enretanto, os alunos preferiram assistir o filme. A todo momento pensavamos que era melhor vê-los praticando uma atividade no pátio, porém encantaram-se com o filme que preferiram ficar na sala de aula. As crianças sempre irão nos surpreender com suas escolhas.


 

JHIMG-20151014-WA0003.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 01/10/2015

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Reunião geral coordenadoras, supervisoras e bolsistas


 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 30/09/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Tema: Circuito interdisciplinar

Objetivos

Objetivo Geral: Apresentar ao educando temas que abordem os valores por meio de atividades lúdicas e recreativas, contemplando a interpretação textual, cálculos e raciocínio lógico. 

Objetivos Específicos:

Potencializar a importância do respeito ao próximo.

Instigar a leitura e a escrita por meio de interpretação e resolução de cálculos matemático.

Desenvolver a atenção, concentração, percepção visual, coordenação motora, com atividades lúdicas e recreativas. 

Conteúdo:

Acolhimento

Socialização

Leitura

Noção espacial

Limite

Registro

Desenvolvimento do tema:

As crianças serão acolhidas na quadra da escola, onde terá um circuuito com cones, bamboles montados e um painel com perguntas e questões matemáticas.

O momento da socialização ocorrerá na formação de dois grupos com escolhas aleatórias.

A leitura e interpretação será essencial para a resolução das perguntas e pontuuação entre os grupos.

 Os educandos deverão cumprir o trageto sem derrubar os cones ou pisar nos bamboles, assim contemplará a noção espacial.

A atividade só deverá começar com o comando de uma das bolsistas, onde a criança terá que respeitar as regras do circuito, entendendo que se derrubar o cone ou pisar no bambolê, deverá voltar ao inicio da atividade, desta forma será estabelecido o limite.

Os registros serão feitos com máquinas fotográficas.

Avaliação:

Percebeu-se que no momento em que os grupos foram sendo organizados houve uma certa resistencia de alguns alunos, o motivo era querer ficar no mesmo grupo que outros colegas ficaram, a insastifação logo ficou clara pois algumas crianças se sentiram rejeitadas no grupo. Como a intençaõ era a socialização e o sorteio foi aleatório, logo explicamos porque os grupos deveriam permanecer como estavam, argumentando que um dependia do outro e que seria uma boa oportunidade de cada um conhecer melhor seu colega e demostrar sua capacidade no circuito. Todos conseguiram concluir o circuito e respitaram as regras quando solicitada pela bolsista. Houve algumas reclamções na reslução dos problemas por que as crianças queriam completar o circuito rápido e dar oportunidade para o próximo colega, pode –se então perceber que as divergencias entre alguns alunos foram esquecidas e predominou o espírito de competitividade.

Reflexão:

Nossa reflexão deu-se entorno do momento em que todos completaram o circuito e ainda não havia acabado o horário da intervenção, levamos uma outra atividade recreativa denominada “morto vivo”, mas como eles estavam um pouco cansados, pediram-nos para desenhar no chão da quadra. Disponibilizamos giz coloridos e para nossa surpresa desenhos encantadores foram aparecendo. Descobrir o potencial de uma criança em meio a atividades lúdicas é satisfatório para nós que almejamos exercer a função de professora. Foi uma intervenção de aprendizado recíproco.


 

JH IMG_20150930_161910.jpg

 

JH IMG_20150930_161848.jpg

 

JH IMG_20150930_161725.jpg

 

JH IMG_20150930_160945.jpg

 

JH IMG_20150930_162058.jpg

 

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 23/09/2015  à 25/09/2015.

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

5º SIEPEX EM FREDERICO WESTPHALEN

 

JH IMG_20150924_120133.jpg

 

JH IMG_20150924_114122.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 17/09/2015

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde UERGS.

 

 Socialização dos trabalhos a serem apresentados no Siepex. 


 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 16/09/2015

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Tema: De pai pra filho entre rimas e versos.

Objetivos

Objetivo Geral:  Oportunizar aos alunos um momento da cultura gaúcha alusiva a comemoração da Semana Farroupilha, promovendo o resgate da trova entre pai e filho.

Objetivos Específicos:

Promover um momento de socialização entre as turmas

Contemplar a comemoração da Semana Farroupilha através de trovas e versos

Oportunizar as crianças o conhecimento da cultura trovadoresca

Aguçar o interesse no educando do desenvolvimento do raciocínio lógico com elaboração de rimas e versos.

Conteúdo:

Acolhimento

Propaganda da atividade

Musicalização

Questionamentos

Trova

Momento literário

Registro

Desenvolvimento do tema:

Acolhimento:Os alunos serão acolhidos pelas bolsistas e conduzidos ao corredor da escola

Propraganda da atividade: será feita uma propaganda da atividade a ser desenvolvida.

Musicalização: Logo o gaiteiro tocará uma musica que foi acompanhada com palmas.

Questionamentos: os questionamentos serão realizados em torno do conhecimento sobre Trova e como se deve resgatar essa cultura.

Trova: Dá-se então a trova entre pai e filho,

Momento literário: e os alunos irão compor seus versos,

Registro: com máquina fotográfica 

Avaliação:

Entendendo que a Semana farroupilha exerce uma influencia forte entre as crianças, optou-se pela trova de Pai para Filho (Diomar Almeida e Rian) e , com o objetivo de trabalhar Valores com os alunos os trovadores abordaram a importância da escola, estudo e da família, bem como em alguns versos  improvisados o relacionamento entre os alunos. Não foi possível elaborar nenhuma atividade escrita, pois já havia a programação a apresentação de uma invernada. Os momentos foram registrados com máquina fotográfica.

Reflexão:

Para nós bolsistas foi prazeroso ver os alunos encantados assistindo pai e filho trovando, e como ficaram maravilhados com Rian de apenas 10 anos improvisar versos e rimá-los com precisão. Isto nos fez entender que nossos objetivos foram alcançados nesta intervenção.


 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 09/09/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Primeiro momento:

Reunião com a supervisora e bolsistas,

Questões sobre o que já foi observado,

Sugestões de atividades para as intervenções e o tema a ser escoolhido por cada dupla.

Observação:

Nossa última observação ocorreu em dois momentos: na sala de informática e no pátio da escola. Como são poucos os computadores e cada um tem sua vez de acessar o site que mais gosta, os alunos demonstraram uma certa inquietação em ficar esperando. Logo a professora decidiu leva-los ao pátio da escola para uma recreação. Como já estavam um tanto agitados e a turma é grande, percebeu-se algumas agressões verbais, grupos isolados e alguns alunos brincando individualmente. Nossa preocupação deu-se em torno das atitudes que a crianças estavam demonstrando neste dia, a professora sempre usou um tom de voz baixo com eles, e a todo momento intervinha nas atividades da sala de informática como também no momento de recreação. Havia também três alunos de outra turma, que decidiram inserir-se na atividade, não demorou muito para que a professora os retirasse do pátio, pois acabaram discordando uns dos outros. A nossa presença já não era mais novidade, e as crianças começaram agir como de costume. A professora nos orientou que para determinados alunos precisaríamos demonstrar uma postura mais firme, e que outros estariam a todo o momento requisitando nossa atenção. A partir desta conversa optamos em desenvolver atividades de intervenção que alcancem os valores.

Data: 10/09/2015

Reunião

Reunião supervisoras e bolsistas.


 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 02/09/2015.

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Primeiro momento:

Reunião com a supervisora e bolsistas,

Questões sobre o que observar,

Sugestões de atividades para intervenção.

Segundo momento obsevação

Observação:

Os alunos foram direcionados a sala de informática, esperamos a professora titular para começarmos a observação e acompanhar as crianças nas atividades.

A sala a de de informatica disponibiliza 16 computadores, porém apenas 10 pcs, estão conectados a internet. Por esta razão os alunos sentam em duplas ou trios, isto gera um anseio na titular da turma, pois sua intenção na sala de informática sempre foi trabalhar a escrita com os alunos, entretanto, acaba orientando aos alunos acessarem sites de jogos educativvos ou de raciocínio lógico para que eles possam desfrutar deste momento com uma atividade significativa.

Como bolsistas o momento de observação nos revelou, a facilidade que as crianças possuem para utilizar a máquina e o encanto que esse momento exerce sobre eles. Então entendemos que se todos os aprelhos funcionassem corretamente o trabalho da profeesora bem como nossas intervenções abordando as tecnologias voltadas para a leitura e escrita, seria bem gratificante, pois duas ou três crianças usando um só equipamento sempre acaba gerando um atrito, pois várias vezes a professora intervinha nos grupos que dividiam os computadores, o que nos fez refletir sobre que assunto abordaríamos em nossas práticas de intervenções.

 

Data: 03/09/2015

REUNIÃO GERAL:

Coordenadoras, supervisoras e bolsistas.

Cine debate: Documentários- João e Bilu

Tema: Crianças invisíveis.

Palestrante: Dra. Rochele Santaiana

O documentário João e Bilu trouxe um recorte sobre a infancia brasileira e como essas crianças tornam-se invisíveis para a sociedade, com uma visão sobre a exploração do trabalho infantil nas grandes metrópoles. A questão da sobrevivência e a precariedade do meio social onde a criança vive, foram cenas marcantes. O que nos levou a indagar como um ser tão pequeno consegue sobreviver as margens da sociedade, mas também revelou a a capacidade que o ser humano tem de reagir em situações adversas e ver a felicidade em detalhes simples ou ignorados por pessoas que desfrutam de uma situação financeira estável. Em  discussões no grupo, foi ressaltado também outro documentário intitulado “Jonatha” que aborda a representação da infância e apresenta um recorte de sobrevivência de crianças que vivem em meio aos contextos de guerra, sob a visão de um fotógrafo, que registrou por muitos anos a realidade de crianças em cenários de conflitos e como faziam para sobreviver.

Os argumentos levantados em nossas discussões nos fez refletir sobre nossa formação acadêmica e responsabilidade que exercemos sobre determinadas questões na vida de nossos alunos. A exploração do trabalho infantil muitas vezes ocorre com crianças que estão inseridas dentro do ambiente escolar, embora sejam nossos alunos ou não, e nosso dever enquanto cidadão é fazer com os direitos sejam cumpridos, como denunciar empresas que praticam a exploração, informar orgãos competentes e responsáveis pelos menores que tem seus direitos garantidos no estatuto da Criança e do Adolescente.

Quando se trata de trabalho infantil, havendo uma fiscalização atuante, enquanto professores não devemos ficar alheios a situações retratados no documentário, e não nos isentarmos da responsabilidade de notificar orgãos responsáveis. Há também a necessidade de de mobilização de diferentes setores da sociedade para a prática de ações que contribuem para o bom desenvolvimento da criança .


 

Plano de Intervenção Pedagógica

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Data: 26/08/2015.

 OBSERVAÇÃO: Paralisação na escola.

Data: 27/08/2015.

Seminário Educação no Campo. UERGS

 

Plano de Intervenção Pedagógica

Data: 20/08/2015

Escola: EMEB. Francisco Carlos

Professor (a): Fátima

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Ano: 2015

Período: Tarde

Primeiro momento na escola, recepção das bolsistas, coordenadoras e supervisora pela equipe diretiva. Combinações e conhecimento do espaço escolar.

Observação:

Observou-se o 3º ano do ensino fundamental da professora Fátima,  a turma composta por 23 alunos com idades entre 08 e 10 anos, está em uma sala ampla. As paredes comportam cartazes como mural dos combinados, lembretes, alfabeto, calendário, numerais, cantinho da leitura, referencias dos pontos cardeais, quadro de madeira e armário com materiais didáticos dos alunos e da professora. Duas janelas grandes deixam a sala ventilada, a porta dá acesso ao corredor que liga as demais salas de aula e a saída do prédio.

Os alunos demonstraram atitudes aparentemente aceitável para a faixa etária. A professora dirige-se aos alunos com tom de voz baixo, na aplicação da atividade divide o quadro em três partes, em sua metodologia procura usar como recurso recursos materiais e objetos encontrados com facilidade no cotidiano dos educandos.

Na disciplina de matemática, nas questões de divisão, adição e subtração disponibilizou para as crianças  grãos de feijão e dois copos descartáveis de cafezinho para contagem. 

 

Relatório dos Planos de Intervenções Pedagógicas 2015-2.

Pibidianas: Hosana F.Fontana e Jaqueline Rodrigues Fabres

Data:13/08/2015 UERGS

Reunião ocorrida em três momentos com horário defino para cada escola participante do projeto com bolsistas, coordenadoras e supervisoras, para sorteio e organização do novo grupo.

Data: 19/08/2015 UERGS

Reunião geral supervisoras, bolsistas e coordenadoras.

OFICINA 1.

TEMA: Retomando noções didático/metodológicas. Pensar sobre a intervenção pedagógica.

Vídeo: Aprender a aprender.

Reflexão:

A mensagem do vídeo Aprender a aprender, levou-nos a refletir sobre a importância de como a aprendizagem acontece, como ela se constitui, e como esse processo fará parte do planejamento nas intervenções pedagógicas.

Compreender a necessidade de observar antes de intervir, é fundamental. Silva (1979, pag. 94) afirma que “o processo de investigação social que consiste na aplicação do sentido para que a apreensão da realidade social”. Logo a prática se constitui na ação que se desenvolve e produz sentido. Para tanto é necessário durante as observações por meio do projeto Pibid, coletar dados sobre a escola e seu contexto escolar, como interesse, motivação, participação, relação aluno/professor, o meio social ao qual o aluno está inserido.

Planejar uma intervenção é como pensar em um roteiro com objetivo geral focado no tema, especificando o que se quer alcançar. Justificar com clareza e precisão a importância ou relevância de levar aos alunos uma proposta de trabalho com o tema escolhido, e o que motivou a procurar a resposta do que trouxe inquietação.


 

 

I. Data: 25/06/2015.

II. Dados de Identificação: 

Escola: IEE Oswaldo Aranha

Professora: Marli

Pibidiano (a): Hosana Fagundes Fontana

Ano: 2015.

Turma: 43

III. Tema:

 Milho cozido para comemorar o dia de São João.

Objetivo geral:

Despertar no aluno o entendimento de uma alimentação saudável, incluindo a origem e os benefícios do cereal para a saúde.

Objetivos específicos:

Desvelar para o aluno a origem do milho

Enfatizar ao aluno o alto consumo deste alimento nas Festas Juninas

Potencializar a importância do alimento na prevenção de doenças digestivas

Despertar a curiosidade do aluno sobre os benefícios do grão para a saúde

Possibilitar ao educando o conhecimento das propriedades do grão.

Propiciar à criança a degustação do alimento

V. Conteúdo: 

Diálogo

Questionamentos

Curiosidade

Produção artística

Preparação

Registro

VI. Desenvolvimento do tema: 

O diálogo dar-se-á em torno do alto consumo do cereal durantes as comemorações das Festas Juninas.

Os questionamentos serão voltados para a origem e a importância do alimento para a saúde. De onde veio o milho? Quais as propriedades do grão? Quais os benefícios que este cereal traz para a saúde?

O texto disponibilizado ao aluno ajudará na explicação dos questionamentos acima

Na produção os alunos irão desenhar a espiga do milho com suas propriedades em um cartaz que será exposto.

Será feito a degustação do milho verde cozido

O registro será por meio de fotografia.

VII. Recursos didáticos:

Folha branca, lápis, caneta, lápis de cor, borracha, caneta esferográfica, cola branca, imagem do milho, texto xerocado, máquina fotográfica ou celular, milho para cozinhar, sal, água, fogão e panela.

VIII. Avaliação: 

Será considerada satisfatória a atividade, se os alunos demonstrarem interesse e participação com atenção, nos questionamentos orais, registros e produção da atividade por meio de desenho.

IX. REFLEXÃO: 

Trazer para o educando a história e origem de alguns alimentos é de fundamental importância par que este entenda que através de aprendizado se conhece culturas de outros povos bem como sua história. Trabalhar alimentação não quer dizer que devemos ficar presos ao alimento em si, mas, por meio deste explorar outros conhecimentos.

A preparação do alimento é diversificada de povo para povo, bem como seu cultivo e cultura. Possibilitar todos esses aprendizados no Projeto Pibid, é muito gratificando tanto para o aluno quanto para o bolsista que visualiza na prática os objetivos alcançados.

X. ANEXOS: 

 www.tuasaude.com

http://revistacrescer.globo.com/ 

 

 

Data: 11/06/2015.

II. Dados de Identificação:

Escola: IEE. Oswaldo Aranha

Professor (a): Marli

Pibidiano (a): Hosana T. Fagundes Fontana

Ano: 2015

Turma: 43

Período: 13h15min 15h30min

III. Tema:

             As cores que me encantam.

IV. Objetivo:

Objetivo geral:

  Potencializar o conhecimento sobre as atividades realizadas durante as oficinas  e elaborar a capa do Portfólio.

Objetivos específicos:

Estimular oralidade, interação e socialização.

Trabalhar coordenação motora fina e ampla.

Desenvolver a imaginação, criatividade, atenção, concentração, expressão artística.

 

V. Conteúdo:

Acolhimento

Musiacalização

Expressão corporal

Interação

Produção

Registro

VI. Desenvolvimento do tema:

Conversa informal- Como foi o dia antes de chegarem à escola, as atividades realizadas durante o período em que a bolsista estava em estágio, retomada das oficinas de forma criativa.

Questionamentos- Serão questionados e relembrados das oficinas já realizadas e os temas abordados.

Utilização das cores - Instigar os alunos a utilizar as cores com técnicas de pinturas diferenciadas.

Construção- Será disponibilizada para os alunos folhas branca A4, para a elaboração da capa do Portfólio.

Registro- com máquina fotográfica.

 

VII. Recursos didáticos: Folhas A4, tinta guache, pincel, lápis de cor, giz de cera, picotes coloridos de papeis, cola branca, cola colorida, cola com glíter, canetas esferográficas, máquina fotográfica ou celular, rádio, cd ou pen drive, toalha sabonete, folhas brancas.

VIII. Avaliação:

A avaliação será através da participação dos alunos e do envolvimento dos mesmos durante as atividades propostas.

Será considerada satisfatória a atividade, se os alunos demonstrarem interesse e participação com atenção aos questionamentos orais, produção e elaboração da atividade.

IX. Reflexão:

No momento em que a criança se utiliza da arte, ao usar cores ela expressa suas emoções e seus anseios. Desta forma uma intervenção com artes é muito proveitosa na idade de nove a dez anos, os educandos demonstraram satisfação na elaboração da capa de seu portfólio. Cada um com seu traço elaboraram excelentes desenhos segundo sua imaginação, entretanto, a satisfação se manifesta em ver suas próprias produções sem direcionamento da bolsista, sem gravura xerocada ou algum desenho para que reproduzissem. Estimular a criatividade de cada criança nesta faixa-etária é primordial, pois a fase em que a infância vai finalizando traz também muitos anseios para o educando, assim resgatar o pintar por prazer é maravilhoso.

 

 

I.Plano de Aula: Data: 06/05/2015.

II. Dados de Identificação: 

Escola: IEE Oswaldo Aranha

Professora: Marli

Pibidiano (a): Hosana Fagundes Fontana

Ano: 2015.

Turma: 43

Período: 1:30min.

 

III. Tema: Um amor de Mãe.

Objetivo geral:

 

Envolver o alunado por meio da criatividade e produção textual o entendimento sobre importância do dia direcionado as mães.

 

Objetivos específicos:

 

Despertar seu conhecimento sobre a origem do dia das mães.

Sensibilizar o aluno sobre sua importância da data comemorativa.

Estimular o por meio da criatividade o prazer pela produção textual.

Desenvolver oralidade, interação e socialização.

Desenvolver a imaginação, criatividade, atenção, concentração.

V. Conteúdo:

 

Acolhimento e conversa informal.

Questionamentos sobre a origem do dia das Mães.

Produção textual e artística.

Elaboração de um bloco com mensagem escrita pelo aluno para entregar à sua mãe.

 

VI. Desenvolvimento do tema: 

 

Os alunos serão acolhidos na entrada da escola. No ambiente da sala de aula iniciará uma conversa informal sobre a origem do dia das Mães.

Haverá um momento de calmaria, e os alunos serão questionados sobre as informações que tem em relação a data comemorativa.

Os questionamentos feitos resultaram em uma produção textual que cada aluno fará para homenagear sua mãe.

. Por fim a confecção de um bloco com a capa em EVA

 

VII. Recursos didáticos:

 

Folha branca, lápis, borracha, caneta esferográfica, cola colorida, EVA colorido, cola com gliter, cola para EVA, lápis de cor ou giz de cera, tesoura, máquina fotográfica ou celular para registro.

 

VIII. Avaliação: 

 

Será considerada satisfatória a atividade, se os alunos demonstrarem interesse e participação com atenção nos questionamentos orais, produção textual e artística.

 

IX. REFLEXÃO:

 

Elaborar uma intervenção que contemple a data comemorativa do dia das mães, sem produzir uma lembrancinha para elas é quase impossível. Ao intervir com a proposta de desvelar aos alunos o surgimento do dia em que é direcionado as mães e como esse dia espalhou-se em quase todos os países, foi uma atividade bem proveitosa e de interesse dos educandos.

Após saberem da história da origem do dia das mães e por quem foi criado, os questionamentos dos alunos deu-se entorno de seus sentimentos para com suas mães. Após essa reflexão, elaboração com muito carinho e dedicação de um bloco de anotações, com o objetivo de demonstrarem por meio da escrita de mensagem o quanto amam suas mães. Enquanto bolsista é muito gratificante poder partilhar destes momentos familiares com as crianças.

 

 

I. Data: 23/04/2015.

II. Dados de Identificação: 

Escola: IEE Oswaldo Aranha

Professora: Marli

Pibidiano (a): Hosana Fagundes Fontana

Ano: 2015.

Turma: 43

III. Tema:

 

A escola que amamos.

Objetivo geral:

Despertar no aluno a sensibilidade para entender a importância da escola, dos  professores, funcionários e colegas na vida do educando.

Objetivos específicos:

Propor ao aluno o conhecimento da história da escola.

Potencializar a importância dos professores, funcionário, alunos e o papel que cada um desenvolve na escola;

Enfatizar que a convivência e o aprendizado podem ser saudáveis com a colaboração de todos;

Sensibilizar para os cuidados (limpeza) que deverá ter no ambiente escolar onde está inserido;

Ressaltar a importância dos valores por meio de produção textual;

Possibilitar ao aluno um reconhecimento do ambiente escolar por meio de um passeio no entorno da escola;

Desvelar as belezas da escola através de registros fotográficos;

Releitura do passeio feito no entorno da escola através de desenho.

V. Conteúdo:

Diálogo

Questionamentos

Interação

Socialização

Produção textual e artística

Registro

 

VI. Desenvolvimento do tema: 

Os alunos serão acolhidos, em uma conversa informal.

O diálogo dar-se-á em torno da comemoração da semana da escola.

Os questionamentos serão voltados para a importância que cada professor, funcionário e aluno exercem dentro do ambiente escolar tais como:

(Como seria a escola se não houvesse um responsável para determinada função? A responsabilidade de manter o ambiente limpo é somente dos agentes educacionais? Qual o papel do aluno na escola? Vamos agradecer uma pessoa que você acredita ser importante para o bom funcionamento da escola?)

Será feito um passeio no entorno da escola para o reconhecimento do prédio, e observação da limpeza e os cuidados que se deve ter para manter a escola limpa e organizada.

Os alunos escolherão um lugar que acreditam ser o seu preferido na escola para fotografar como registro.

Ao retornarem à sala de aula serão questionados sobre o que viram.

Será sugerido que escrevam uma carta a um professor, funcionário ou até mesmo um colega, elogiando-o pela tarefa que desempenha na escola.

A releitura do passeio será por meio de desenho livre.

 

VII. Recursos didáticos:

Folha branca, lápis, caneta, lápis de cor, borracha, caneta esferográfica, cola branca, máquina fotográfica ou celular.

VIII. Avaliação: 

Será considerada satisfatória a atividade, se os alunos demonstrarem interesse e participação com atenção, nos questionamentos orais, passeio, registros, produção da leitura e escrita e releitura por meio de desenho.

IX. REFLEXÃO: 

Durante a intervenção pode-se perceber o interesse e participação dos alunos na atividade, o sair da sala de aula para realizar a tarefa trouxe satisfação aos alunos. Ao retornar a sala de aula, e prosseguir na elaboração textual onde com o objetivo de agradecer as pessoas que fazem parte da história da escola, resultaram em muitos bilhetinhos de carinhos e reconhecimentos. Pode-se ver a expressão de surpresa no rosto das professoras em saber da referencia que deixaram ou estão deixando em seus antigos e atuais alunos. Nesta intervenção não focou-se somente na história do prédio da escola ou na história do seu ilustre homenageado, mas sim nas pessoas que estão perpetuando esse legado.

X. ANEXOS

 

 

I. Data: 16/04/2015.

II. Dados de Identificação:

Escola: IEE Oswaldo Aranha

Professora: Marli

Pibidiano (a): Hosana Fagundes Fontana

Ano: 2015.

Turma: 41

 

III. Tema:

Família, diferentes, mas, iguais.

 

Objetivo geral:

Despertar no aluno a sensibilidade para entender a importância da família, suas

qualidades e diversidades.

Objetivos específicos:

Sensibilizar o aluno sobre sua importância no meio familiar;

Aprimorar o conhecimento sobre as diferenças existentes nas famílias;

Estimular o valor do companheirismo e a amizade no âmbito familiar;

Enfatizar que apesar das diferenças existentes entres os membros da família pode-se ter uma convivência feliz e saudável.

 

V. Conteúdo:

Musicalização,

Expressão corporal

Questionamentos sobre o Vídeo A família do Visconde de Sabugosa. (Com qual personagem você se identificou? Os membros da família do Visconde pensavam da mesma forma? É bom ser diferente?

Produção textual e artística por meio de desenho.

Elaboração de um livro com os textos e desenhos individuais dos alunos.

 

VI. Desenvolvimento do tema:

Os alunos serão acolhidos com a música Visconde de Sabugosa onde trabalharão a expressão corporal e desinibição.

Haverá um momento de calmaria, assim os alunos refletirão sobre o vídeo A Família do Visconde.

Os questionamentos feitos resultaram em uma produção textual e na releitura do filme por meio de desenhos feitos individualmente.

A confecção de um livro com o material produzido individualmente pelos alunos finalizará a intervenção.

 

VII. Recursos didáticos:

Rádio, pen drive, folha branca, lápis, borracha, lápis de cor, giz de cêra, cola branca, pasta arquivo, cartolina branca, palhas de milho trançadas, desenho impresso do Visconde de Sabugosa, furador de folha, grampeador.

 

VIII. Avaliação:

Será considerada satisfatória a atividade, se os alunos demonstrarem interesse e participação com atenção na reprodução do vídeo, nos questionamentos orais, na produção da leitura e escrita e releitura do vídeo.

 

IX. REFLEXÃO 

 

Durante a intervenção pode-se observar o interesse com que as crianças participaram da atividade proposta. Nos questionamentos feitos sobre as diferenças existentes no meio familiar, os educandos identificavam-se ou associavam algum membro da família a um personagem. As produções foram feitas com muito entusiasmo, resultaram na elaboração de um mini livro com mensagens, que direcionaram a pessoas que julgavam especiais em suas vidas, e desenhos com dedicatórias.

Enquanto interventora esperava essas comparações feitas pelos alunos, entretanto, a surpresa veio na fala de alguns alunos em forma de desabafo, por situações familiares que vivenciavam no momento. Tal atitude por parte dos alunos nos faz refletir da grande importância de ser primeiramente ouvinte antes mesmo de ser educadora.

 Em algumas situações que surgem a partir de uma atividade proposta dentro da sala de aula, ser ouvinte se faz necessário, a criança vê na figura do professor um orientador que lhe transmite confiança e segurança para expor seus anseios e preocupações.

 

X. Anexos.

 

 

Hosana Terezinha Fagundes Fontana- aluna do 7º semestre do Curso de Pedagogia Licenciatura da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul- Uergs - Unidade Alegrete- Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid).

Luciara Leal da Silva - supervisora do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), no Instituto Estadual de Educação Oswaldo Aranha.

 

Relato das observações feitas no Instituto de Estadual de Educação Oswaldo Aranha, parte do processo do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), projeto atuante na escola.

Nos dias de observações no Instituto de Educação Oswaldo Aranha, relembramos sob outra ótica o espaço físico da escola. As áreas  do refeitório e de lazer são muito amplas. A escola disponibiliza três quadras de esportes, ginásio, auditório, salão de eventos, biblioteca com arquivos históricos, sala de AEE, banheiros adaptados, bem higienizados, salas de aulas amplas e arejadas, com armários para guardar os materiais dos professores, recursos de audiovisual para os docentes e alunos, laboratório de informática. A escola dispõe de dois prédios chamados carinhosamente pelos alunos e professores de prédio novo e prédio velho.
A faixa etária dos alunos na turma de 4º ano do Ensino fundamental – Anos Iniciais varia de 09 a 10 anos. Em sua maioria são participativos, organizados, têm hábitos e atitudes que condizem com suas idades, com exceção de três alunos.

Até o momento não houve relato de infrequência na turma de 4º ano da Escola Oswaldo Aranha. Constatou-se que três alunos da turma 41, a professora necessita ser rígida, pois demonstraram atitudes inadequadas com os demais colegas. A titular, com suas características, apresentou um relacionamento recíproco com os alunos, o companheirismo, compromisso, responsabilidade, proximidade são atitudes constantes em de aula. Nota-se um laço de amizade.

Os alunos concentram-se durante as atividades, demonstram autonomia e organização com seus materiais pessoais. Suas brincadeiras favoritas são: futebol e esconde-esconde apreciam muito os dias de Intervenções Pedagógicas pelas Bolsistas. Na postura da professora, percebe-se a cobrança na rotina e o cumprimento de horário. Na metodologia usada a utilizações de livros didáticos, direcionados a busca de novos conhecimentos por meio da internet serve como suporte para o docente. Uma vez na semana dispõem de horário na biblioteca para leitura e troca de livros que são levados para casa.

A professora tem seus planos de aula organizados, favorece espaço para debates entre os alunos na sala de aula, quando os mesmos abordam assuntos pertinentes e de relevância.  Assim, conforme os relatos acima, a bolsista poderá intervir com atividades que contemple as disciplinas de Artes e Ciências, dentro do planejamento.  Este tema deverá alcançar ou superar as expectativas dos educandos. Todas as atividades dentro da proposta de Intervenção Pedagógica são organizadas, revisadas e aprovadas pela supervisora e apresentada à professora titular.

 

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98079994/HOSANA%201.jpg

 

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98079999/HOSANA%202.jpg

 

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98080004/HOSANA%203.jpg

 

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98080009/HOSANA%204.jpg

 

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98080014/HOSANA%205.jpg

 

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98080019/HOSANA%206.jpg

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.