| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Want to get organized in 2022? Let Dokkio put your cloud files (Drive, Dropbox, and Slack and Gmail attachments) and documents (Google Docs, Sheets, and Notion) in order. Try Dokkio (from the makers of PBworks) for free. Available on the web, Mac, and Windows.

View
 

Marilise Martins Vargas

Page history last edited by PIBID UERGS ALEGRETE 7 years, 2 months ago

Dados de Identificação

Data: 02/10/2014 

Escola: Escola Municipal de ensino Básico Waldemar Borges

Professora: Gelci, Julia , Arminda 

Pibidianas: Chaiane Prado / Marilise Vargas

Ano:1º,  2º, 4º ano

Assunto: Dia da Criança

Carga horária: 2 horas

Objetivo:

Estimular as crianças a praticar atividades simples, resgatando as pratica de antes e um pouco do ser criança hoje.

Motivação:

 Os alunos serão sensibilizados a conhecer a origem do dia da criança através de um texto.

Metodologia

1ª etapa:  a turma sentará em “U” para fazermos a leitura geral e comentário a respeito da “origem do dia da criança”. Texto.

2ª etapa: A partir da leitura do texto “A origem do dia da criança” os alunos farão a confecção de um boneco de material reciclável. Que será levado para casa como lembrancinha.

3ª etapa: Será entregue uma folha, com algumas brincadeiras para conhecimentos dos alunos.

Recursos:

Balão, restos de linhas de lã, palito (tipo para churrasco ou para picolé), canetas hidrocor, sobras de TNT , fita adesiva e cola.

Avaliação: Os alunos serão avaliados individualmente, mediante a participação nas atividades. Será considerado satisfatória a proposta se os alunos utilizarem sua  criatividade na montagem do boneco, procurando participar da tarefa com empenho e integração com os demais colegas.

 

              “A ORIGEM DO DIA DA CRIANÇA”.

O Dia das Crianças no Brasil foi “inventado” por um político.

Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho teve a ideia de “criar” o dia das crianças. Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.

Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a “Semana do Bebê Robusto” e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo, pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes!

Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança, para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto.

A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.

Em outros países

Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, a comemoração acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças da China e do Japão comemorarem!

Dia Universal da Criança

Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro, já que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece esse dia como o dia Universal das Crianças, pois nessa data também é comemorada a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças. Entre outras coisas, esta Declaração estabelece que toda criança deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Algumas Brincadeiras Antigas

Roda: em roda, cantem canções antigas e façam os gestos e representações delas. Lembramo-nos de algumas músicas como atirei o pau no gato, ciranda-cirandinha, a linda rosa juvenil, a galinha do vizinho, a canoa virou, eu entrei na roda, cachorrinho está latindo, o meu chapéu tem três pontas, pai Francisco, pirulito que bate bate, samba lelê, se esta rua fosse minha, serra serra serrador, etc.

Escravos de Jó: dois participantes cantam a música “escravos de jó, jogavam caxangá, tira, põe, deixa ficar, guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue zá”. Cada um com uma pedrinha na mão vai trocando-as e fazendo o que diz a música

Amarelinha: risca-se a amarelinha no chão, de 1 a 10, fazendo no último número um arco para representar o céu. Pula-se com um pé só, dentro de cada quadrado.

Pião: um pião de madeira enrolado num barbante. Puxa-se a ponta do barbante e este sai rodopiando. A grande diversão é observar o pião rodando.

Passar anel: os participantes ficam com as mãos juntas e um deles com um anel escondido. A pessoa que está com o anel vai passando suas mãos dentro das mãos dos outros participantes até escolher um deles e deixar o anel cair em suas mãos, sem que os outros percebam. Depois escolhe uma pessoa e pergunta-se “fulano, com quem está o anel?” e a pessoa escolhida deve acertar.

Pula corda: duas pessoas batem a corda e outra pula. Durante a execução da brincadeira os batedores vão cantando “um dia um homem bateu na minha porta e disse assim: senhora, senhora, põe a mão no chão; senhora, senhora, pule de um pé só; senhora, senhora, dê uma rodadinha e vá pro meio da rua”. Ao final, o pulador deve sair da corda sem errar.

Bolinha de gude: essa brincadeira tem várias formas de se jogar, como box, triângulo, barca e jogo do papão, onde os participantes devem percorrer determinados caminhos, batendo uma bolinha na outra e, ao final, acertar as caçapas.

Empinando pipa: escolha um local adequado e amplo, onde não tenha fios de energia elétrica. A pipa vai subindo com o vento e os participantes ficam observando-a ao longe. Algumas pessoas usam cerol, uma mistura de cola com caco de vidro, para cortar os fios das outras pipas. Porém, a brincadeira dessa forma torna-se perigosa, podendo causar acidentes graves. Assim, use-a apenas para se divertir evitando usar o cerol, mesmo que alguém lhe dê o preparado.

Batata quente: os participantes sentam-se em círculo e uma pessoa fica de fora. Vão passando uma bola, bem rápido, de mão em mão e o que está de fora, de costas para o grupo, grita “batata quente, quente, quente, queimou!”. Quem estiver com a bola quando o colega disser ‘queimou’, é eliminado da brincadeira. O vencedor será aquele que não for eliminado.

 

 

Reflexão:

Hoje as crianças se apresentaram muito agitados, principalmente os meninos do 2º ano, estava complicado a interação com os demais colegas e para entender que a hora do intervalo havia acabado e que seria o momento para recomeçar o trabalho.  Após um chamamento do que iria ser trabalhado, os mesmos resolveram colocar mãos a obra. No inicio tiveram dificuldade na montagem do boneco, pois precisaria colocar o papel dentro do balão, mas com as instruções eles conseguiram dar continuidade na construção do brinquedo ficando contente com o que produzirão. Mais tarde com a recordação das brincadeiras antigas se divertiram, pois brincamos com a brincadeira do “passa anel”, poucos deles conheciam e entregavam-se quando estavam com o “anel”.

Resgatar brincadeiras que em nosso tempo era tão comum é muito bom o comportamento das crianças no que diz respeito ao relacionamento com as outras crianças, com as professoras e demais adultos que vivenciam a rotina da escola apresentaram atitudes de respeito, visto que demonstram mais afetividade elevando a autoestima das mesmas deixando-as mais a vontade. Na interação com a brincadeira antiga trouxe para a realidade atual situações que estimulem a criança a construir ou adquirir conhecimento sobre a mesma e sobre as outras pessoas que conviviam com ela, e que podemos utiliza-las em nosso cotidiano.

Nesta prática percebemos que, mesmo que as crianças tanto agitadas quanto calmas podem trabalhar e resgatar o interesse por determinado assunto, visto que os mesmo são muito inteligentes conseguem captar tudo o que esta ao seu redor.

 

 

 

                                       Dados de Identificação

Data: 18/09/2014

Escola: Escola Municipal de ensino Básico Waldemar Borges

 

Professora: Gelci, Julia , Arminda

Pibidianas: Chaiane Prado / Marilise Vargas

Ano:1º,  2º, 4º ano

 

Assunto: Semana do Gaúcho

Carga horária: 1 a 2 aulas

 

Objetivos:

Para comemorar a Semana Farroupilha, os alunos realizaram atividades relativas ao Dia do Gaúcho e deverão ser capazes de:

_ Compreender e interpretar o contexto regionalista, (1º, 2º e 4º ano);

_ Elaborar uma poesia sobre o seu entendimento cultural (4º ano);

_ Pintar a imagem da cuia; (2º ano)

_ Identificar das indumentárias gaúchas; (1º ano).

 

Motivação:

 Os alunos foram sensibilizados a cultivar suas tradições e fortificar o senso de patriotismo, conhecendo sobre sua cultura regional, Rio Grande do Sul.

 

Metodologia

1ª etapa: vídeo sobre a Revolução Farroupilha “o tempo e o vento”

 2ª etapa: mostra das indumentárias gaúchas

3ª etapa: A partir da leitura do texto “A lenda do chimarrão”, os alunos trabalharam na confecção de um painel que será exposto na sala.

 

Recursos:

Folhas de ofício, folha de papel pardo, lápis de cor, canetas hidrocor, material de uso diário e erva- mate, cuia, data show, pen drive.

 

Avaliação: Os alunos serão avaliados individualmente, mediante a participação nas atividades, criatividade na montagem do painel, o desempenho na produção textual e a integração com os demais colegas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

I.Plano de Aula: Data:07/11/14

II. Dados de Identificação:

Escola: EMEB Waldemar Borges

Professor (a): Gelci  (1º ano), Julia (2º ano), Arminda (4º ano)

Pibidiano (as/os):Chaiane Prado-Marilise Vargas

Ano:1º , 2º ano e 4º ano

Período: 15hs e 45 mi às 17hs 15min

III. Tema:

Dia Nacional do livro, técnica de mosaico. 

IV. Objetivos:

Objetivo geral: Desenvolver nas crianças o hábito da leitura, de ouvir história, e sentir-se parte dela, de forma prazerosa e significativa.

Objetivos específicos:

-ouvir a história, envolvendo-se a ela para compreendê-la.

- Estimular a participação de todas as crianças, nas atividades propostas;

- trabalhar a motricidade fina a partir da colagem.

- Possibilitar a oralidade, imaginação e criatividade das crianças;

- Criar a partir da história seu autorretrato.

V. Conteúdo:

-Artes: imagem do seu autorretrato.

_história: história do livro.

VI. Desenvolvimento do tema:

1ª Atividade:

Assistir o vídeo sobre “a menina que odiava livros”

Procedimento:

Conversar sobre o vídeo.

- Qual é o seu entendimento do vídeo?

- O que mais chamou a sua atenção?

2ª Atividade:

Iremos mostrar um livro gigante que tem como título “ livro de autorretrato” que contem duas páginas com imagens, contextualizando a história e sua evolução social até a chegada à escola.

3ªAtividade:

A partir do livro, do vídeo e da conversa, as crianças irão usar a imaginação e criatividade para desenhar seu autorretrato, colorindo com recortes de papeis colorido, usando a técnica de mosaico, adicionando mais páginas neste livro que será exposto na escola.

Obs. as crianças trabalharam com uma música instrumental ao fundo para melhor concentração no seu trabalho.

Vll Metodologia:

Conversa com o grupo.

Desenho do seu perfil (autorretrato).

Recorte e colagem.

As crianças irão trabalhar individualmente, para que seja despertada nelas a criatividade.

 VIIl. Recursos didáticos:

Data show, Papel Pardo, tenaz, Lápis, Borracha, pen drive, música.

 

lX. Avaliação:

A avaliação será satisfatória se os educandos participarem das atividades durante todo o processo de construção  na montagem de seu autorretrato e interagirem com as bolsistas.

X. Após a realização da aula

REFLEXÃO:

 

 

 

 

 

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.