| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Stop wasting time looking for files and revisions. Connect your Gmail, DriveDropbox, and Slack accounts and in less than 2 minutes, Dokkio will automatically organize all your file attachments. Learn more and claim your free account.

View
 

Franciéle Souza da Rosa

Page history last edited by PIBID UERGS ALEGRETE 4 years, 11 months ago

http://uergspedagogiaalegrete.pbworks.com/w/file/fetch/98322336/logofinalpng.png

 

 

 

Plano de Intervenção Pedagógica

 

DATA: 18 de Novembro de 2015

 

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

Escola: Luiza de Freitas Valle Aranha

 

Professor (a): Neiva Chervenski

 

Pibidiano (a) (as/os): Franciéle Souza da Rosa e Paula Barros de Sousa

 

Ano: 2015/2

 

Turma: 5º ano/ B

 

Período: Tarde

 

1. TEMA: “Quem ama sua terra faz a sua História”

 

2. OBJETIVOS

 

2.1 OBJETIVO GERAL:

Conhecer e Aprofundar os deveres e direitos do Prefeito de município, valorizar suas ideias e fortalecer a cidadania são passos fundamentais para elevar a consciência do cidadão edificar a dignidade incondicional da pessoa humana.

 

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

- Conhecer como é a vida do Sr. Prefeito do município;

- Perceber as mudanças ocorridas no município através dos tempos;

- Valorizar e preservar o patrimônio do município;

            - Entender as relações existentes entre os fatores sociais, políticos e econômicos;

- Resgatar as verdadeiras funções de um líder;

- Compreender as funções do poder executivo, legislativo e judiciário;

- Inovar metodologia tornando o aluno construtor da sua própria história (oferecer condições para os alunos) interagir na história.

 

3. CONTEÚDO:

 

Vamos trabalhar a escrita e a leitura no momento em que os alunos escreverem sua carta ao prefeito da cidade e depois na roda de conversa e socialização de suas ideias.

Na disciplina de Português essa temática será desenvolvida de maneira coerente e assim vamos trabalhar também nos temas de cidadania e história.

 

DESENVOLVIMENTO DO TEMA:

 

1º -como são, quem são (a cidade, os bairros, as divisões)

Os alunos deverão escrever em uma folha como são as divisões de espaços que eles conhecem como: bairros, cidades, países. Isso pode também ser feito como desenho ou em tópicos (trabalho em grupo).

Deixar que as ideias e suposições se agreguem à conversa, de forma produtiva.

2º -Se eu fosse prefeito seria... (mini texto em forma de painel, cartaz)

Cada aluno apresenta suas propostas que realizariam se fosse prefeito(a).

3º -eleição

4º -gráfico. Após todos terminarem, organizaremos uma roda de conversa para discutirem as respostas coletivamente.

 

4. AVALIAÇÃO:

 Avaliaremos a participação individual e em grupo, também se o aluno conseguiu assimilar os conteúdos propostos pelos professores em sala de aula, não esquecendo da capacidade do aluno com relação a aprendizagem.

Esse tipo de avaliação permite que o professor detecte as dificuldades de cada aluno e possa ajudá-la durante e depois de cada atividade aplicada.

Avaliaremos também o interesse e atenção do aluno durante as explicações e demonstrações das atividades propostas.

 

5. REFLEXÃO:

Nesse dia foi muito especial por dois motivos, primeiro porque era a última intervenção em sala de aula, depois teríamos só a festa de encerramento e o segundo motivo foi pelo qual essa aula foi muito significante.

O tema proposto foi de muito aprendizado, onde eles se colocaram com muita criatividade, conhecimento e exploraram seu senso crítico de cidadão e futuros eleitores com opiniões maduras e bastante relevantes.

Uma parte bem interessante da aula foi quando alguns alunos se candidataram a prefeitos da cidade e cada um fez sua proposta eleitoral oralmente.

Após fizemos um móbile onde cada um falou dos bairros, da cidade e propondo melhorias a cada local escolhido.

Enfim, esta aula foi maravilhosa, de muito aprendizado para ambas partes.

 

REFLEXÃO DA INTERVENÇÃO DO DIA 18/11/02015- FRANCIÉLE

Esse dia foi uma intervenção diferenciada devido que a turma do 5º ano da qual faço as intervenções estavam fazendo a “Prova Brasil”, sendo assim a supervisora nos organizou eu e minha dupla (Paula), para trabalharmos em outras duplas com suas respectivas turmas.

Sendo assim, fiquei trabalhando nesse dia com a Claudia e Juliana no 3º ano. E foi trabalhado nesse dia os 3Rs, pois as mesmas estão trabalhando com o tema Meio Ambiente.

Portanto, a aula foi bastante prazerosa e proveitosa, onde eles participaram com muita dedicação e atenção.

 

REFLEXÃO DA INTERVENÇÃO DO DIA 18/11/02015- PAULA

Neste dia 11 de novembro auxiliei as bolsistas Mariélen e Chaine em sua intervenção na turma do 1ºano, pois a turma do 5º ano estava realizando a provinha Brasil.

Demos início a aula com uma breve conversa sobre a data alusiva a consciência negra, depois as professoras passaram para visualização a imagem que representava a cultura africana, onde eles posteriormente iriam realizar uma reprodução com massinha de modelar. Ao longo das conversas foram surgindo as ideias e então fomos escrevendo um texto coletivo.


 

PF 20151118_154302.jpg

PF 20151118_152752.jpg

PF 20151118_154246.jpg

PF 20151118_152408.jpg

PF 20151118_152401.jpg

PF 20151118_152344.jpg

PF 20151118_151516.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

DATA: 10/11/2015

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

Escola: Luiza de Freitas Valle Aranha

 

Professor (a): Neiva Chervenski

 

Pibidiano (a) (as/os): Paula Barros de Sousa e Franciéle Souza da Rosa

 

Ano: 2015/2

 

Turma: 5º ano/ B

 

Período: Tarde

 

1. TEMA: Consciência Negra: cultura afro-brasileira

 

2. OBJETIVOS

2.1  OBJETIVO GERAL:

Valorizar a cultura africana, reconhecendo a sua presença nos diversos segmentos da sociedade, isto é, na literatura, arte, culinária, religião, música e dança.

2.2  OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

• Compreender a origem do Dia da Consciência Negra e sua importância;

• Valorizar a cultura africana;

• Reconhecer a contribuição da cultura negra na formação do povo brasileiro;

• Constatar presença africana na literatura, na música, na culinária, na arquitetura, na linguística, de dançar, de rezar através de desenhos;

• Questionar, instigar os alunos sobre as atividades desenvolvidas.

 

3. CONTEÚDOS:

As contribuições africanas para a formação e a constituição da sociedade brasileira fazem parte da construção da nossa cultura. Para compreender o que é o Brasil em suas raízes mais profundas, é fundamental conhecer as diversas contribuições da cultura africana, sendo elas: cultural, social, afetivo, musical, literário, artístico, religioso e arquitetônico.

 

Para isso faremos uma leitura e discussão do texto "Dia Nacional da Consciência Negra” (FERNANDES, CLÁUDIO); onde iremos questioná-los o que sabem a respeito do Dia da Consciência Negra e o que isso significa para eles. Após a discussão do tema iremos assistir a um vídeo "A Breve História da Cultura Africana", visando através do vídeo levar os alunos as ferramentas necessárias para que tenham consciência da importância e influência da cultura africana na sociedade atual.

 

4. DESENVOLVIMENTO DO TEMA:

Com um breve conhecimento do tema proposto já trabalhado em sala de aula, vamos propôs a eles a confecção de um painel com seus próprios desenhos, evidenciando a influência da cultura africana na sociedade brasileira, tais como na literatura, na música, na culinária, na arquitetura, na linguística, de dançar, religião. E a importância da data dia 20 de novembro que faz menção à consciência negra.

A cada exposição de um desenho, vamos propor uma fala, o porquê da escolha do desenho e o que significou na construção do mesmo.

 

5. AVALIAÇÃO:

Será feita no decorrer da aula, observando a compreensão dos alunos sobre os conceitos trabalhados e a sua participação na construção da maquete, que posteriormente será exposta na sala de aula.

 

6. REFLEXÃO:

 

Esta aula foi maravilhosa, todos participaram com muito entusiasmo, onde já tinham tido uma prévia sobre o assunto com a professora regente, e nós só enfatizamos mais o assunto.

Levamos um vídeo sobre o tema, onde apreciaram muito, após fizemos uma discussão em roda e todos participaram e demostraram que tinham internalizado e compreendido a proposta da aula.

Também alavancamos o tema “preconceito”, onde juntos podemos refletir sobre esse mal que infelizmente aflige a sociedade. Construímos um painel mostrando s contribuições afrcanas para a formação e a constituição da sociedade brasileira onde podemos observar que eles já possuem um sendo crítico e positivo sobre esse aspecto.

Enfim, a cada intervenção que realizamos podemos perceber que eles amadurecem demostrando através dos seus comportamentos e participação das atividades e cada vez mais reconhecem a nós com muito carinho, respeito e dedicação ao nosso trabalho.

 

REFERÊNCIAS:

FERNANDES, Claudio. 20 de novembro - Dia nacional da Consciência negra". Brasil Escola.

Vídeo: www.youtube.com/watch?v=BB_6T1XF9n0

 

PF 20151110_153253.jpg

PF 20151110_153249.jpg

PF 20151110_153221.jpg

PF 20151110_152511.jpg

PF 20151110_152504.jpg

PF 20151110_152500.jpg

PF 20151110_152355.jpg

PF 20151110_161642.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

 

DATA: 28/10/2015

 

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

Escola: Luiza de Freitas Valle Aranha

 

Professor (a): Neiva Chervenski

 

Pibidiano (a) (as/os): Paula Barros de Sousa e Franciéle Souza da Rosa

 

Ano: 2015/2

 

Turma: 5º ano/ B

 

Período: Tarde

 

1. TEMA: Maquete da Ponte Borges de Medeiros

 

2. OBJETIVOS

 

2.1  OBJETIVO GERAL: O objetivo desta aula, é construir uma maquete da ponte Borges de Medeiros que está interditada devido a fortes chuvas e cheia do rio Ibirapuitã. Devido à faixa etária dos alunos, a proposta é que a atividade seja coletivamente desenvolvida, pois o aluno terá a liberdade de escolher o espaço da maquete irá construir e irá experienciar de forma singular o que ela significa para ele.

 

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

• Reconhecer o espaço local analisado, que será usado na maquete.

• Orientar o aluno a observar, com seu trabalho e com o dos colegas, os espaços físicos da nossa ponte.

• Debater sobre a importância da ponte Borges de Medeiros e sua significação para o aluno, bem como todas as discussões que vem surgindo nas últimas semanas desde sua interdição.

Discutir os impactos da sua presença e também de sua interdição

• Observar e comparar as dimensões.

• Questionar o aluno sobre a atividade desenvolvida.

 

3. CONTEÚDO:

A construção da maquete será um momento de descontração e interação entre os alunos e o tema proposto em nosso projeto, que fala sobre o nosso município de Alegrete. Neste momento estaremos trabalhando conceitos como geografia; noções de espaço; localização; artes na parte de pintura, modelagem, recorte e colagem, bem como as noções históricas de construção e manutenção da estrutura da mesma.

Segundo Almeida e Passini (2002) “a maquete serve de base para explorar a projeção do espaço vivido para o espaço representado”.  Ela é a forma material de se trabalhar alguns conceitos da temática da geografia, proporcionando a ação do indivíduo sobre o objeto e, consequentemente, interferindo na sua formação e compreensão dos conteúdos e do mundo. Dá então a visibilidade e a conexão entre a ação do homem e o espaço físico.

 

4. DESENVOLVIMENTO DO TEMA:

 

Com a liberdade de construir sua própria maquete, o aluno analisará a questão espacial do ambiente, a ordem lógica da organização e realizará um planejamento próprio, podendo de forma prática e concreta analisar o porquê de certas ordens e aplicar conceitos.

Materiais sugeridos:

Sugiro, abaixo, alguns materiais que podem ser utilizados na maquete.

1. Caixa de sapato

2. Papelão

3. Caixa de pasta de dente

4. Palito de picolé

5. Palito de Churrasco

6. tinta guache e muitos outros.

 

5. AVALIAÇÃO:

Será feita no decorrer da aula, observando a compreensão dos alunos sobre os conceitos trabalhados e a sua participação na construção da maquete, que posteriormente será exposta na sala de aula.

 

6. REFLEXÃO:

 

 Neste dia 28 fizemos a seguinte proposta aos alunos: Já que havíamos conversado muito na última aula sobre a situação e a interdição da ponte Borges de Medeiros e esse assunto rendeu boas ideias, Por que não reproduzi-la a nossa maneira, mostrando a nossa visão, os nossos desejos de que ela seja mantida e revitalizada. A realização desta prática foi muito gratificante e com muitos aprendizados de ambas partes. A turma foi dividida em grupo e para cada grupo foi delegado uma função e todos estavam muito entusiasmados e comprometidos.


 

PF 20151028_155441.jpg

 

PF 20151028_155419.jpg

 

PF 20151028_155342.jpg

 

PF 20151028_153429.jpg

 

PF 20151028_152732.jpg

 

PF 20151028_152705.jpg

 

PF 20151028_152645.jpg

 

PF 20151028_152645.jpg

 

PF 20151028_145949.jpg

 

PF 20151028_145940.jpg

 

PF 20151028_145841.jpg

 

PF 20151028_145825.jpg

 

PF 20151028_145631.jpg

 

PF 20151028_145622.jpg

 

PF 20151028_145533.jpg

 

PF 20151028_145456.jpg

 

PF 20151028_145425.jpg

 

PF 20151028_145354.jpg

 

PF 20151028_145310.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

 

DATA: 21/10/2015

 

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

Escola: Luiza de Freitas Valle Aranha

 

Professor (a): Neiva Chervenski

 

Pibidiano (a) (as/os): Franciéle Souza da Rosa e Paula Barros de Sousa

 

Ano: 2015/2

 

Turma: 5º ano/ B

 

Período: Tarde

 

1 TEMA: “Comparando as Estruturas Arquitetônicas antigas e atuais da cidade de Alegrete”

 

2  OBJETIVOS

 

2.1 OBJETIVO GERAL:

Identificar as características das Estruturas Arquitetônicas antigas e atuais da cidade de Alegrete.

 

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

Estimular a imaginação e a criatividade por meio de “fotos antigas e atuais” da cidade e após confecção de um painel com as ilustrações confeccionadas pelos alunos.

 

CONTEÚDO:

História- características históricas e culturais do município;

Artes- fotos antigas e atuais da cidade, e após a confecção de um painel ilustrando o mesmo.

 

3     DESENVOLVIMENTO DO TEMA:

Na aula passada tiveram acesso a diversas fotos atuais e antigas da cidade. Dando seguimento ao tema, na disciplina de Artes, faremos um painel para exposição na escola com produções confeccionada por cada aluno.

E na disciplina de História, utilizaremos o texto que já registraram no caderno na aula anterior e vamos discutir entre 04 grupos e explorar a opinião de cada um, trocando o aprendizado entre o grande grupo.

 

4     AVALIAÇÃO:

 

A avaliação acontecerá diariamente, através das observações e registros de todas as atividades realizadas, auxiliando quando necessário, considerando a participação, o interesse, a colaboração e a organização da turma durante as atividades propostas em sala de aula.

 

5     REFLEXÃO:

 

      O tema proposto desta aula é explorar as estruturas arquitetônicas da cidade, comparando o atual com as de antigamente. E após foi posto um desafio a eles de desenharem através das percepções deles as mudanças ocorridas na cidade, ouve um diálogo, onde juntos podemos observar o sendo crítico de cada um, onde objetiva torná-los sujeitos críticos e pensantes, autônomos, capazes de exporem suas ideias.

No início da aula conversamos com os alunos sobre o tema da aula passada, se gostaram, se lembravam e também se alguém havia lido o texto. Na conversa logo surgiu o assunto das imagens que havíamos visto na aula passada e que as professoras Paula e Franciéle lhes trouxeram no computador. A partir daí convidamos eles a trabalhar com as fotos impressas que trouxemos e assim surgiu a ideia de reproduzir as imagens através de desenhos ou ilustrações feitas por eles trazendo então os seus olhares sobre as estruturas arquitetônicas da nossa cidade de Alegrete.

No início conversamos um pouco sobre as imagens, onde ficavam, o que eram e o que representam para o município. Chamou nossa atenção os alunos Darlan e Carolina que não fizeram uma cópia e sim basearam-se na figura e desenharam livremente com suas próprias formas e ideias.

Carolina se destacou nessa aula nos ajudando na confecção do painel, escrevendo e também recolhendo os desenhos de seus colegas, demonstrando uma certa liderança e espírito de organização

No encerramento da aula tiramos uma foto com alguns alunos que ficaram na finalização do grande painel de ilustrações e releituras das obras arquitetônicas mais conhecidas e assim terminamos essa primeira fase do projeto.

 Entretanto, gostamos muito do resultado final de nossa aula neste dia, pois diferente da primeira, notamos os alunos mais interessados e participantes, mostrando- se mais habituados à nossa presença e mais prazer em participar da atividade proposta.

 

 

PF 20151021_152915.jpg

PF 20151021_152908.jpg

PF 20151021_150808.jpg

PF 20151021_150801.jpg

PF 20151021_145327.jpg

PF 20151021_142053.jpg

PF 20151021_142037.jpg

PF 20151021_141522.jpg

 

Plano de Intervenção Pedagógica

 

DATA: 14/10/2015

 

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

Escola: Luiza de Freitas Valle Aranha

 

Professor (a): Neiva Chervenski

 

Pibidiano (a) (as/os): Franciéle Souza da Rosa e Paula Barros de Sousa

 

Ano: 2015/2

 

Turma: 5º ano/ B

 

Período: Tarde

 

1 TEMA: “Alegrete, conhecimento histórico e cultural da cidade.”

 

2  OBJETIVOS

 

2.1 OBJETIVO GERAL:

 

Identificar as características históricas e culturais do município.

 

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

 

Instigar a curiosidade; proporcionar o conhecimento da cultura da cidade;

Explorar a leitura oral e o canto do hino da cidade.

 

3 CONTEÚDO:

Português-Conhecer e interpretar o hino da cidade;

História- características históricas e culturais do município;

 

4 DESENVOLVIMENTO DO TEMA:

 

Colocaremos a data no quadro e questionaremos aos alunos, o que eles sabem da nossa cidade? Quem mora em Alegrete? Qual a localização da nossa cidade. E assim faremos o ponto de partida para o início do projeto, contemplaremos a disciplina de Português, ouvindo o hino da nossa cidade, onde será disponibilizado em folha A4 para eles registrarem no caderno, após será proporcionado uma produção textual sobre o município de Alegrete.

E na disciplina de História, utilizaremos um texto que irão registrar no caderno a história do Alegrete e depois vamos explorar a reflexão das características culturais e históricas da cidade.

 

5 AVALIAÇÃO:

 

A avaliação acontecerá diariamente, através das observações e registros de todas as atividades realizadas, auxiliando quando necessário, considerando a participação, o interesse, a colaboração e a organização da turma durante as atividades propostas em sala de aula.

 

6 REFLEXÃO:

 

            Nossa primeira intervenção foi bem construtiva, eles estavam um pouco agitados, devido há ansiedade e de ser a primeira atividade realizada.

Todos trabalharam com tranquilidade e corresponderam o objetivo da aula. Podemos conhecer um pouco mais eles, como eles trabalham, como reagem a cada atividade e eles a nós.

Após o término da aula perguntamos se eles gostaram da aula, do tema proposto que será trabalhado e também pedimos sugestões de atividades que gostariam de trabalhar.

Enfim, ficamos bastante satisfeitas com nossa primeira intervenção onde juntos realizamos um trabalho proveitoso.

 

PF 20151014_151853.jpg

 

PF 20151014_151852.jpg

 

PF 20151014_151758.jpg

 

PF 20151014_145721.jpg

 

PF 20151014_145718.jpg

 

PF 20151014_145707.jpg

 

PF 20151014_145705.jpg

 

Relatório de Observação

 

DATA: 9/set e 16/setembro

 

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

Escola: Luiza de Freitas Valle Aranha

 

Pibidiano (a) (as/os): Paula Barros de Sousa e Franciéle Rosa

 

Ano: 2015/2

 

Turma: 5º ANO

 

Período: de 9 a 16 setembro

 

OBSERVAÇÃO:

 

Dia 9/9

Na turma do 5 ano

 

Desde o primeiro momento em que estivemos na sala do 5º ano, nos identificamos com a maneira com que a professora trata e ensina os quase 20 alunos que tem em sua sala de aula. São alunos em idade de mais ou menos 11 anos, agitados, interessados e muito espertos. A professora estava conversando sobre o passeio que eles haviam realizados dias antes no museu do gaúcho, onde conheceram e se inteiraram um pouco maias do nossos costumes e tradições.

 

Na turma do 1º ano

 

Desde o momento em que chegamos até o final da aula nossa impressão sobre o que acontecia ali naquela sala de aula foi a mesma, de que a professora não lhes propõe atividades lúdicas e interessantes a seus alunos.

A sala de aula é pouco colorida, as vezes nos pareceu até mesmo cinzenta, visto que os cartazes e painéis não passavam criatividade e muito menos a cara dos alunos, eram cartazes prontos e feitos de maneira robotizados, parecendo serem tirados de uma cartilha antiga ou algo assim.

Nesta aula que presenciamos os alunos estavam a escrever poucas palavras, lhes foi proposto um “Bingo do Nome”, atividade a ser realizada pelos alunos como forma de um jogo, onde eles haviam de procurar as letras sorteadas e formar o nome escrito em suas fichas.

 

Na turma do 3º ano

 

Ao observarmos a turma do 3º ano, encontramos o grupo no seu momento de recreação no pátio da escola, onde conversamos um pouco com a professora que nos contou sobre a rotina da turma e suas especificidades.

A turma é bem ativa e os alunos são bem comunicativos e falantes, durante nossa observação pudemos perceber que a professora é bem tradicional e não aceita ideias muito diferentes.

 

Dia 16/9

 

Neste segundo dia de observação foi possível visualizar melhor a dinâmica da sala de aula e também descobrir como é cada aluno, bem como suas dificuldades e habilidades.

Ao chegar na sala presenciamos a professora lhes propondo uma produção textual, justificando a importância da mesma devido a um passeio feito um dia antes pela escola a um museu de história e acervo alegretense.

Nesse passeio os alunos puderam conhecer um pouco mais da cultura, tradições e costumes do povo gaúcho e desta forma poderiam conversar e contribuir sobre o texto proposto. O texto falava sobre a vida do campo e trabalho lá exercido.


 

PF 20150916_142006.jpg

PF 20150916_170007.jpg

PF 20150916_141941.jpg

PF 20150916_142315.jpg

PF 20150916_142031.jpg

PF 20150916_142021.jpg

PF 20150916_142814.jpg

PF 20150916_141952.jpg

 

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL

CURSO: PEDAGOGIA

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

 

I. Dados de Identificação:

 

Escola: EMEB. Luiza de Freitas Valle Aranha

Professor (a): Neiva Chervenski Escobar

Professora supervisora do Pibid: Graciele Ramos

Pibidiano (as/os): Franciéle Souza da Rosa e Paula Etyele Barros de Sousa.

Ano: 5º ano

Período: 3º trimestre de 2015.

 

II. Tema:

 

        “Alegrete, nosso canteiro de flores, conhecimento histórico e cultural da cidade”.

 

 III. Introdução

O presente projeto chama-se “Alegrete, nosso canteiro de flores” e tem por finalidade, buscar o desenvolvimento de um trabalho voltado para alunos de 5º ano, na Escola Municipal de Ensino Básico Luiza de Freitas Valle Aranha na cidade de Alegrete. Buscamos em nossa prática, compreender com os alunos o conhecimento sobre as características históricas e atuais de Alegrete, proporcionando interesse e curiosidades sobre o tema proposto e trabalhado em sala de aula.

Faremos um resgate histórico de toda a sua formação desde suas conquistas até os dias de hoje, onde as pessoas que aqui vivem sentem-se parte uma cidade bela em suas curvas e carente em seu processo de desenvolvimento. Segundo José Bicca Larré em seu livro Crônicas do diário (2007) “Alegrete era o grande e único da região de campos planos e pastagens nobres. Uruguaiana, Livramento, Rosário do Sul e etcéteras, eram distritos do Alegrete, que se foram tornando independentes e progressistas ao longo do tempo”. Mas, ainda hoje, Alegrete é o maior município do Estado. Como todo o bom Alegretense Larré sentia muito pela “exportação” de seus filhos cidadão que vão embora do município em busca de novas oportunidades.

Nesta caminhada pretendemos anunciar aos alunos do 5º ano uma visão diferente do nosso município de Alegrete, mostrando nossos costumes, características e histórico. Sempre dando ênfase a assuntos diferentes ao que estão acostumados, trazendo curiosidades e pesquisas baseadas em seus questionamentos e ideias.

Aprofundar a história do município, valorizar seu patrimônio e fortalecer a cidadania são passos fundamentais para elevar a consciência do cidadão edificar a dignidade incondicional da pessoa humana.

"As ruas de Alegrete são um tanto estreitas.

Quem as projetou teria necessidade, assim tanto, de calor humano?

Acho que sim, eu não poderia ter nascido e sobrevivido sem o calor humano que eu sinto nessas ruas." 

(...) "Batizei de Alegrete / os reinos silenciosos / da cidade que inventei..." (Élvio Vargas)

 

IV. OBJETIVOS

GERAL

            Construir com os alunos o conhecimento sobre as características históricas e atuais de Alegrete, proporcionando interesse e valorizando seus saberes sobre o tema proposto.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

Conhecer e valorizar a história do município;

Relacionar as características históricas que existem na cidade com as características atuais;

Valorizar e preservar o patrimônio do município;

Estimular o conhecimento dos alunos a cerca do município em que vivem;

Perceber as mudanças ocorridas no município através dos tempos;

Inovar metodologia tornando o aluno construtor da sua própria história (oferecer condições para os alunos) interagir na história;

Instigar a curiosidade dos alunos sobre o município;

Trabalhar a culinária, clima, a cultura

 

V. Atividade inicial

Para iniciar a intervenção iremos conversar com os alunos sobre o município em que vivem, traremos o hino alegretense, este que não é muito conhecido, pois em todas as ações festivas se faz uso do canto alegretense que já é tratado como um hino não só alegretense e também rio-grandense.

Dando continuidade à temática, vamos trabalhar com um texto que traz o conhecimento histórico de nossa cidade, histórico, trajetória, organização e localização da cidade de alegrete.

Neste momento faremos um resgate histórico desde o início de sua formação até os dias de hoje, incentivando a discussão e inserção de ideias dos próprios alunos, contribuindo e acrescentando em nosso trabalho, tornando ele mais interessante e prazeroso.

 

Busca do conhecimento

Para tal pesquisa vamos trazer a aula elementos com vídeos, fotos, músicas e o canto alegretense, que são parte da cultura, história e costumes de nosso município. Também vamos pedir que os alunos busquem informações diversas afim de introduzir em nossos diálogos novas descobertas e dúvidas, através de nossas conversas vamos construindo nossa metodologia de trabalho, buscando uma melhor maneira de trabalhar o tema.

Usaremos materiais concretos como textos, fotos e música pensando numa melhor compreensão do conteúdo e faremos também uso de estratégias como computadores do laboratório, pátio da escola, biblioteca e oficina de artes.

 

Encerramento

No final de nossas aulas pretendemos ter atingido os objetivos e tornando as aulas educativas e proveitosas no sentido de aprendizado de maneira lúdica e leve. Sempre usando de formas práticas, uma vez que a turma é composta de pré-adolescentes ativos e espertos, pensando em contribuir com seu aprendizado fazendo com que se tornem alunos interessados pelos assuntos do município em que vivem.

 

VI. CRONOGRAMA

 

DATA
ATIVIDADE
OBSERVAÇÃO
09/09
Início do projeto/ observação
 
16/09
Observação
 
23, 14 e 25/09
SIEPEX / PIBID
 
30/09
Elaboração do projeto
 
07/10
Início das Intervenções
 
09/12
Encerramento
 

 

VII. BIBLIOGRAFIA

 

LARRÉ. José Bicca. Do livro Crônicas do diário. Academia Santa-Mariense de Letras, 2007.

CEPAL. Centro de Pesquisas e Documentação de Alegrete: Criador e diretor: Prof. Danilo Assumpção Santos.

GAZETA DE ALEGRETE, Nº 104: ANO CENTENÁRIO. Alegrete 1º nov. de 1957

GAZETA DE ALEGRETE, N° 120: EDIÇÃO ESPECIAL DOS 170 ANOS DE ALEGRETE. Alegrete, 25 out. 2001.

http://www.raizesdosul.com.br.

http://historiadealegrete.blogspot.com.br

http://assisbrasil.org/joao/alegrete.htm


 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.